segunda-feira, 12 de maio de 2014

Botafogo 6 x 0 Criciúma - Seis?!



“Foi uma bela vitória, mas não cobre os nossos erros. Vamos continuar trabalhando. Dá um pouco mais de tranquilidade, o Botafogo pontua, mas não cobre os defeitos. Acho que precisamos ter um pouco mais de confiança, alegria para jogar e saber reconhecer que é um time que precisa melhorar bastante. Muitos defeitos, defeitos primários, mas cada um sabe o que tem de melhorar individualmente. Temos conversado isso durante a semana. Isso é bom para que quando chegue a hora dos jogos a parte coletiva possa aparecer.” (Emerson – entrevista à Rádio Globo).

“Era importante dar resposta que o torcedor quer ver. Não é a torcida que vai encher. É o time que vai jogar bem e encher o estádio.” (Vagner Mancini – entrevista coletiva).

Andam me poupando a escrita ultimamente.

Tem tudo pra ser a maior goleada da competição. Tem tudo pra fazer os jogadores ganharem confiança. Tem tudo pra fazer o torcedor voltar a acreditar no time. Mas tem tudo pra dar errado se acharem que parou por aí.

Como tudo indica que estão mais preocupados em manter o foco do que ficar olhando pro sol, parece que vai dar certo.

[Link para os melhores momentos: Botafogo 6 x 0 Criciúma]

Saudações botafoguenses!

2 comentários:

Gil disse...

Grande Luiz,
Grande Biriba,

Amém!

Emerson, nesse primeiro momento, está me surpreendendo positivamente.
Espero e torço que a raiva que ele tem do mano não acabe tão cedo e o motive cada vez mais a jogar bola.

Abs e Sds, Botafoguenses!!!

Biriba disse...

Grande Gil!

O Emerson está perfeito dentro e fora de campo. Está muito acima da média, tanto no futebol quanto na abstração.

A raiva é um ótimo sentimento pra quem conhece a alquimia da vida. Dentre várias utilidades, serve pra ganhar força física extra e pra aumentar a determinação. Mas isso pra quem conhece as fórmulas da transmutação e parece que ele conhece do riscado.

Acho que a causa dele vai além das frustrações que sofreu por conta da "queimação" que o Mano Menezes impingiu a ele. Esse técnico carreirista e mafioso é uma casquinha na ponta do iceberg da "missão" do Emerson.

Acho que o Emerson é impulsionado/contagiado por uma coisa que vai além da relação com uma só pessoa. É pessoal, mas acredito que seja entre ele e o que ele entende como realidade. Esse cara vai tentar dar tudo de si até o fim da carreira, e essa disposição só se retrai quando ele se sente colocado na função de "escada" pelo capitalismo futebolístico.

No Botafogo não existe ninguém com futebol suficiente pra forjar uma relação em que ele seja escalado pra um papel de coadjuvante. Mesmo que volte o Vitinho.

Acho que por enquanto estamos a salvo.

Saudações botafoguenses!