quarta-feira, 27 de março de 2013

A expulsão do Seedorf não pertence ao mundo do Botafogo

Seedorf foi expulso de uma partida por se recusar (a princípio) a sair pelo lado do campo que o árbitro da partida exigia que saísse para ser substituído, quando NÃO ESTAVA SENDO SUBSTITUÍDO, e DEPOIS DE OCORRER A SUBSTITUIÇÃO QUE SUPOSTAMENTE SERIA A SUA. O absurdo se avoluma, chegando às raias do surrealismo, quando, no final das contas, somos levados a concluir que, caso a substituição de fato ocorrera, o jogador ANDRE BAHIA SUBSTITUIU UM JOGADOR EXPULSO.

Transcrevo texto do amigo Rui Moura sobre a expulsão mais esdrúxula da história do futebol mundial, fato que coloca o Brasil em posição de destaque como uma potência incontestável em estupidez e torpeza.

Da pequenez deles à nossa superioridade

 

Quando o Botafogo se encaminha para uma fase boa, eis que os servidores da injustiça e leais esbirros do poder do futebol carioca tratam de aparecer. Não bastaram os “15 minutos de fama” do juiz, agora é o tribunal desportivo a querer brilhar em cima de Seedorf.

Assim mata-se «dois coelhos de uma cajadada só»: brilha-se em cima do Seedorf e desestabiliza-se a equipa. Foi assim com Loco Abreu, quando a imprensa lançou o atleta contra o Botafogo constantemente. Acabaram por ganhar. Esperam ganhar novamente.

A solução é simples: na medida em que quando voamos cada vez mais alto os terrestres vêem-nos cada vez mais pequenos, mantenhamos essa superioridade e façamos que todos os esbirros engulam um sapo muito grande mantendo a calma durante a semana e aumentando a pegada em campo.

Dirigentes, comissão técnica e atletas: é hora de sabermos quanto valem como homens. Não se deixem vencer e vergar, porque não devemos jamais esquecer que “tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens do bem nada façam”.

É hora de juntarmos o proveito à fama, isto é, se nos acusam de altivos, sejamo-lo. Com tranquilidade e rigor durante os treinos e esbanjando categoria nos estádios de futebol. Se formos muito superiores, não há dirigente federativo, juiz de tribunal, jornalista da flapress, que trave a nossa fúria de vencer.

AVANTE, BOTAFOGO! NÓS TE AMAMOS!

Texto de Rui Moura (blogue Mundo Botafogo)

[Publicação original aqui]

Nota 1: Duas dicas de leitura sobre o assunto, garimpadas por Rui Moura:

Lancenet: http://www.lancenet.com.br/botafogo/Divulgacao-responde-duvidas-expulsao-Seedorf_0_889111264.html

Bate-bola Alvinegro: http://globoesporte.globo.com/platb/torcedor-botafogo/2013/03/25/cereja-do-bolo

Nota 2: Introdução inspirada no artigo de Caio Araujo e em comentário de Rivaldo Santos.

Saudações botafoguenses!

sexta-feira, 15 de março de 2013

O Botafogo do Beckenbauer


Franz Beckenbauer admira o Botafogo pelo futebol que viu em campo, no tempo em que o marketing ainda não havia chegado aos gramados.

Ninguém é obrigado a gostar do Botafogo. Nem o Beckenbauer. Mas negar uma história de futebol de alto nível é flertar com a idiotice. (O “Kaiser” não precisa desta informação).

Saudações botafoguenses!

quarta-feira, 13 de março de 2013

Desenterrando ossos - fatos reais no Cemitério do Caju



Segunda-feira vesti uma camisa que eu entendia conter uma sutil alusão ao Botafogo, pois estava trabalhando em local público e não queria que alguma referência ao futebol interferisse no andamento das tarefas. Vocês sabem como é: uns contentes, outros nem tanto.

Não adiantou, pois os funcionários do local avistaram a estrela – sempre ela, inconfundível, o símbolo de clube mais marcante do futebol mundial. E começaram os comentários à minha revelia, eu me esgueirando como se não estivesse escutando, pois, como já disse, estava em expediente e qualquer intervenção minha seria ainda mais desastrosa do que o equívoco quanto à sutileza de uma estrela de cinco pontas sobre uma camisa preta de mangas brancas com uma pintura estilizada de uma torcida alvinegra numa arquibancada de estádio iluminado com gramado ao fundo.

Falou-se que o Botafogo levou a Taça; que mereceu; que não mereceu, nada; que o Flamengo foi que “deixou” (típico); que o Vasco se acovardou; que não era chororô “porque isso é coisa de botafoguense”, mas que aquilo foi pênalti, isso foi! (eu rindo por dentro, baixinho...); que isso era conversa de flamenguista que não sabe perder; que o Vasco é um eterno vice; que se o Vasco fosse um perdedor não teria não sei quantos Brasileiros e uma Libertadores; que flamenguista quando chora diz que é cisco no olho... E por aí ia, até que um senhor de uns setenta disse que só existiam três times grandes no Rio, e começou a lista pelo Fluminense. Eu sabia onde ele queria chegar e não faltou vírgula para saber que era tricolor.

Eu queria me manifestar, mas quanto mais a situação parecia sair de controle, mais eu respirava fundo e me escondia. Porque o aumento da confusão geral apontava na direção da minha camisa e eu estava a trabalho, deveria ser prudente, pensar nas consequências das minhas decisões – o que era de se esperar de mim, que fui contratado justamente por conta do meu suposto discernimento. Um impasse.

Porque o Flamengo conquistou isso e aquilo e o Vasco aquilo outro; e o Fluminense tem 30 Estaduais e tantos Brasileiros!; o botafoguense fica feliz com qualquer coisa; que não é time de tradição... seguia o velho tricolor.

Quando meu estômago já não aguentava mais, embrulhado com o que voltava da garganta fechada, forçando idas e vindas entre o duodeno e o cérebro – “Seu ídolo é o Rivelino, seu ídolo é o Rivelino!” – , eis que uma voz ressoou salvadora: “Pode não ter 30 ‘carioquinhas’, mas dizer que não é time de tradição é coisa de velho caquético. Eu sou flamenguista, mas não sou maluco!”

Quem diria, em uma discussão sobre futebol, ser salvo por um flamenguista! Que não se conteve: “E Libertadores? Tem?”

Alguns segundos intrigado, querendo saber o motivo de tanto ódio, quando um sujeito, que esteve calado durante toda a conversa, se aproxima nas encolhas e diz baixinho: “Ele grita é de tristeza; a felicidade acalma. Vamos aproveitar uma semana tranquila, porque ainda não acabou. Por enquanto está ótimo.”

Veio um quase insight, que escapou na fala: “Será que foi o Paulo Valentim? Ele ficou desse jeito por causa do Paulinho Valentim... É esse o motivo da mágoa!”, no que o botafoguense rebateu: “Deve ser. Cinco gols numa final de campeonato?! Ah, isso é ferida que não sara!” E foi saindo, lento, com um sorriso sereno.

E eu sosseguei.

Saudações botafoguenses!

terça-feira, 12 de março de 2013

Botafogo – Campeão da Taça Guanabara 2013


(Foto: Bruno Lima/Lancenet!press)
[Clique na imagem para ampliá-la]

A perfeita eficácia do time botafoguense ficou evidente na disputa de domingo, pois o Botafogo jogou para vencer e venceu, enquanto o Vasco jogou para não perder e acabou perdendo.

Era vencer ou vencer e foi isso o que o Botafogo fez. E este ‘isso’ não foi pouco, pois venceu ‘E’ venceu, já que o regulamento dava a vantagem do empate para os adversários dos dois jogos decisivos, o que nos obrigava a vencer de forma consecutiva. E vencemos sem precisar garantir resultado através de disputa por pênaltis.

A Taça Guanabara de 2013 foi para a sede do clube que conta com os jogadores que mais mereceram o título, seja pela capacidade técnica, concentração, inteligência ou pela ‘raça’ com que jogaram as duas partidas decisivas.

Parabéns aos mais obstinados jogadores da competição! Vocês superaram a desvantagem de possíveis empates, o descrédito e a torcida contrária do setor ‘jornalístico’ especializado em propaganda rubro-negra e a marcação dura dos adversários batidos.

Parabéns, Botafogo! Parabéns, torcida alvinegra!

Saudações botafoguenses!

[Link para os melhores momentos: Vasco 0 x 1 Botafogo]

quarta-feira, 6 de março de 2013

Segunda-feira de lágrimas


(Foto original: Ivo Gonzales/Globo)

Comentários no blog do jornalista Mauro Beting, no Lancenet.com, em 4/3/2013 (aqui):

Regys: “(…) o exelente(sic) juis(sic) do botafogo, que permitiu tudo, eu falei tudo… aqui comenta um torcedor sem chororo(sic) (…) comenta aí, que o zagueio virou goleiro, e que cabeça de área virou lutador de mma, e juiz finje(sic) que nao(sic) viu nada!!!”
Regys é um “torcedor sem chororo”, chorando feito um bebê.

Fabiano Santos: “COMO BEM DITO NO FANTÁSTICO, ONTEM, O FLAMENGO TEVE DE JOGAR CONTRA O BOTAFOGO E CONTRA O JUÍZ. UMA VERGONHA ESSA ARBITRAGEM. O JUIZ DEVIA TER UMA CAMISA DO FOGUINHO POR DEBAIXO DA DELE. AINDA NÃO GANHARAM NADA. SOMOS OS REIS DO RIO.”
Fabiano Santos, um chorão “globalizado”, com um rei de baralho furado na barriga.

Roger: “Eu queria ver se fosse o contrário, hoje seria um chororo(sic) só, uma comoção na imprensa, mas contra o Flamengo ninguém fala nada, uma vergonha o que aconteceu ontem, não tem mérito algum o fraco time do Botafogo, agora quem inventoui aquele juizinho de ontem? quando foi que apitou alguma partida importante? muito, mas muito suspeita a escalação dele.”
Roger, um sujeito que curiosamente chora sem saber que está chorando.

João Marcos: “Fora o penalty que o Sr. Juizao, literalmente de amarelo, não deu (…)”
João Marcos, mais um chorão fantasiado de entidade de macumba avessa à cor amarela.

Prubro Negro: “(…) já sei aprenderam o MMA viram muitas lutas do Anderson Silva, Cigano, Zé Aldo, só que a federação do Rio esqueceu de escalar um juiz do UFC. (...) Aos Rubros Negros como eu, não vamos Chorar, pois é coisa de botafoguense” (Não consigo parar de rir depois dessa..).
Prubro Negro, outro chorão chorando e teimando que não chora.

Marcus: “Erros de arbitragem existem em qualquer lugar, porem o engraçado e que se fosse contra o Botafogo, hoje seria uma comoçao geral, todos os canais repetindo o lance uma choradeira geral, fariam dvd para levar para Fifa, arbitro seria suspenso etc. Mas como o erro prejudicou o Flamengo tudo bem.”
Marcus, um selenita chorão e ponderado que não viu o Fantástico, o Bem Amigos e o Globoesporte.

Smith: “Botafoguense é um torcedor sui-generis. Agora quer elevar Cidinho, vitinho, Sassá, lodeiro e outros razoáveis jogadores a categoria de Craque! Eles são muito engraçados. Pênaltis claríssimos agora é bola-na-mão.”
Smith, torcedor chorão do + quirídu e fã do craque Rafinha.

Fayfay: “colocaram um cego para apitar o jogo”
Fayfay ‘Pacarai’, chorão sintético.

***

Eu sei que foi a primeira vez que o time da gávea foi derrotado pelo Botafogo no Engenhão.

Sei que quebramos uma invencibilidade de 17 jogos.

Também sei que a derrota representou a eliminação na Taça Guanabara.

Além disso, não só eu, mas muitos torcedores do time da gávea e inclusive alguns da Udinese sabem que foi uma tremenda ‘água no chopp’ da festinha preparada durante toda a semana para o aniversário de 60 anos do maior ídolo do clube.

Mas, cá entre nós, é muito chororô pra uma semifinal de primeiro turno de estadual, né não? Imagina se fosse um amistoso no Japão!!!

Saudações botafoguenses!

O Carimbo Botafogo volta a atacar



Desta vez foi a ‘água no chopp’ da comemoração dos 60 anos do maior ídolo da gávea.

A ‘flapress’ passou a semana inteira preparando a festinha, mas o Botafogo estava em horário de trabalho.

Saudações botafoguenses!

terça-feira, 5 de março de 2013

A história de uma vida



O Aqipossa revela o que a imprensa nunca nos contou sobre a vida do Galinho, como forma de homenagear os 6x0, ou melhor, os 60 anos do maior herói da urubuzada.

Sigam os links e leiam Zico: A História de uma vida.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Nota 10: O Aqipossa é um blog que revela as artimanhas que a ‘flapress’ usa para distorcer os fatos e ‘escrever’ a história em benefício do ‘seu’ amado time da gávea.

Nota 0: A ‘flapress’ é discípula de Goebbels.

Saudações botafoguenses!

segunda-feira, 4 de março de 2013

Fomos no coração



Não são as regras do jogo, os aspectos técnicos, físicos ou táticos; não é o clube e nem mesmo sua torcida, e muito menos as competições, as federações, as empresas esportivas ou os investidores associados: o principal elemento do futebol é o jogador. E foram eles que neste domingo fizeram prevalecer um lado sobre o outro e conquistaram para o Botafogo a oportunidade de estar na final da Taça Guanabara.

Parabéns ao grupo de jogadores que colocou o coração na ponta das chuteiras e derrubou o jejum de vitórias contra o time da gávea! Parabéns aos finalistas!

Leia também:

- Botafogo 2x0 CRZ: Domingo glorioso: Fogo Eterno
- Botafogo 2x0 Flamengo: Mundo Botafogo
- Vozes - a minha coletânea de sábado à segunda: Mundo Botafogo
- Imagens - a minha coletânea gloriosa: Mundo Botafogo
- Vozes 'deles': Mundo Botafogo
 
Saudações botafoguenses!

[Link para os melhores momentos: Flamengo 0 x 2 Botafogo]