quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Solta! Ele não tem culpa...


(Falling Into Nothing, por Kathleen Ostrich)

“Na 22ª rodada o Botafogo perdeu pro penúltimo e na seguinte empatou com o último. Três rodadas e perdeu pro penúltimo da vez (era outro pnltm), pois né óbvio que estamos abaixo do desempenho dos que brigam para não cair?”. Eu te disse, eu te disse.

Falta de vidência e excesso de torcida né que eu não previ que na 30ª rodada o atual time do Botafogo perderia pro último colocado do campeonato? Asco da estatística rindo na minha cara.

Sobre a “conclusão”: Nada mudou. [inserido em 24-10-14: Na verdade, piorou, agregando mais do que um bocado.].

***

O sujeito fica no mano a mano com o goleiro; Passa pelo goleiro e... simula uma falta! (Ah, seria um pênalti? vai-te pra lá!) SIMULA UMA FALTA DEPOIS DE PASSAR PELO GOLEIRO!

Não me lembro de melhor exemplo para o significado da palavra “_______”.

***

Maurício Assumpção é um(a) “_______”.

Saudações botafoguenses!

sábado, 4 de outubro de 2014

Degolem o culpado, o presidente

Na 22ª rodada o Botafogo perdeu pro penúltimo e na seguinte empatou com o último. Três rodadas e perdeu pro penúltimo da vez (era outro pnltm), pois né óbvio que estamos abaixo do desempenho dos que brigam para não cair?

Saudações botafoguenses!

sábado, 14 de junho de 2014

Temos craque, não temos técnico

(Foto: Jorge Aguiar)

Pra melhorar, o Brasil precisa mudar (pré-candidatura? huam...). Esse futebolzinho mequetrefe da estreia, sendo assim, podem esquecer a taça.

Essa seleção da cbf finge que só conta com um talento individual e a mídia inventa que o melhor que o mingau de território Tupi produziu são esses 11 que saem jogando.

No meu time saem Daniel Alves, Paulinho, Hulk e Fred, Scolari e Parreira, entram Maicon, Ramires, William, Jô, João Saldanha e Didi.

***

De Carrossel à Moinho Holandês. A Espanha triturada. Acachapante! Achei o placar excepcional, apesar de não deixar dúvidas.

Que estão bem preparados, têm um técnico de alto nível (coisa que a seleção da cbf não tem) e vieram com a faca entre os dentes, isso não se discute. Sabemos que estão voando. Falta saber a quantidade de combustível que carregam nas asas do avião movido a caipirinha.

***

O Chile, parecia que ia, não foi.

Os chilenos quase se complicam diante da fraca mas aguerrida Austrália.

Botei a maior fé em Aránguiz, Valdívia, Vargas e Sanches, mas o jogo perdeu a graça: quando achava que o Chile tinha tudo pra dar o troco na Espanha: nada.

[Corte time travel: Há quatro anos perderam de 2 x1 jogando com dez desde o primeiro tempo e estavam dando o maior sufoco nos espanhóis até tomarem o primeiro, uma pixotada do presepeiro goleiro.].

***

Será que já rolou de o primeiro gol de uma copa ser um gol contra? Isso não entra pro Guinness por ser um feito negativo, porque insuperável não é: pode perder 1) pro relógio, 2) quantidade na mesma partida, 3) quantidade na competição. (não vêm ao presente caso os critérios de desempate)

Seja como for, o Marcelo é um dos melhores laterais por aí e não teve culpa no lance.

***

O goleiro da Croácia é um frangueiro. Fosse o Jefferson, empate garantido. E isso porque o Jeff tem o péssimo hábito de escolher canto em cobrança de pênalti.

***

Quem vaia o Diego Costa é o mesmo pessoal que aplaude o Scolari e o Parreira. Os contraditórios por conveniência, ignorância ou ___________.

***

Um amigo escreveu o seguinte no face:

“O cara que pagou milhares de reais por ingresso, camisa, cerveja superfaturada, figurinha e, ao chegar ao estádio, puxa coro de EI DILMA VAI TOMAR NO **, definitivamente não entendeu nada”.

E o outro, que compartilhou o recado, comentou:

“A elite brasileira nunca me surpreende... nunca... só fica comprovado que o governo tem que investir em educação mesmo... rsrsrs”

De longe mas em boa companhia.

Saudações botafoguenses!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Os Grupos - o ‘grupo’

É hoje. Tem jogo do Brasil e tal... Pra cima deles, Verde-Amarelos!!!

(Imagem: A Clil to Climb)

À primeira olhada fiquei surpreso com a composição dos grupos da primeira fase. Desconhecia os critérios aplicados ao sorteio, mas, fossem quais fossem, me pareceu não pertencerem a nenhum universo conhecido – pelo menos dentre os universos que eu conheço.

O título de uma matéria que fala sobre o assunto (aqui), publicada antes do sorteio, já afirma que ele beneficiaria a França. Não deu outra.

Não vou entrar no mérito da formulação dos critérios escolhidos (até porque o próprio secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, afirmou que “Não é fácil de explicar, mas espero que todos entendam no fim.”), vou direto ao resultado. Pois bem:

Bósnia, Irã e Nigéria (Grupo E); Equador, Honduras e Suíça (Grupo F). Alguém arriscaria dizer que uma dessas seleções tem estofo pra ser considerada uma “segunda” cabeça-de-chave? A França com certeza se deu muito bem – como deduziram os jornalistas responsáveis pela matéria. E a dificuldade (facilidade?) que a Argentina enfrentará pra avançar às oitavas como primeira colocada vai depender da Nigéria, uma eterna incógnita, com seu histórico de picuinhas e vaidades, “panelinhas” e problemas extracampo. Tomara que os nigerianos embalem e provem que ser campeão africano seja algo relevante no cenário mundial – mesmo cansado de seguidas frustrações, ainda deposito esperanças nos nigerianos.

Juntar Inglaterra, Itália e Uruguai no mesmo grupo é avacalhar com a “competição”. São sete títulos mundiais em uma só chave! Resta saber quem NÃO TEM “cara” de cabeça-de-chave aí. Seria o país semifinalista de 2010, o que já venceu 4 mundiais ou o inventor do futebol?

Apesar de achar que a Rússia e, principalmente, a Bélgica são amplamente superiores à Coreia do Sul e à Argélia, não as considero cabeças-de-chave no sentido “clássico”, mesmo levando em consideração a boa fase de ambas. Que trocassem uma das duas últimas por qualquer uma das três ex-campeãs mundiais do Grupo D. A história (clássica) do futebol mundial iria agradecer, mas já era. (E para alívio dos brasileiros, o Uruguai encurralado logo de saída).

Outra solução para a trapalhada do Grupo D estaria no Grupo C. Existe alguma seleção que possa ser considerada cabeça-de-chave por ali? Se fosse uma prova de múltipla escolha, acho que todas as opções estariam erradas. Passando qualquer uma das 4, nada pode ser considerado uma surpresa. Colômbia, Costa do Marfim, Grécia ou Japão não serão zebras: zebra é o outro equino pintado de listras, o sujeito que inventou o “critério”. Meu chute: a Colômbia avança.

Espero que a falta de critérios “conservadores” leve a resultados inusitados além da composição esdrúxula dos grupos.

Torcendo muito para a Colômbia desbancar um “grandão” nas oitavas; e que o Uruguai rompa o curral.

Saudações botafoguenses!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

À FIFA, com amor

(A partir de imagem do game Monster Warlord)

Começa amanhã a Copa do Mundo de 2014, a Copa que vai ter o “Não vai ter Copa”.

Aconteça o que acontecer, sejam mega manifestações rechaçadas pelo aparato policial através de balas de borracha, gás, spray de pimenta e cacetadas à esmo – o de costume – ou mini manifestações de torcedores e seus humorados cartazes do tipo “VAI TER COPA, MAS EU PREFIRO COZINHA”, o fato inescapável é que tudo indica que teremos uma quantidade enorme de jogos espalhados pelo Brasil... e que o país vai parar.

Tudo bem, “parar” pode ser um exagero. Mas mesmo que não seja uma freada brusca, clássica de motorista de ônibus “arrumando a carga”, o ritmo dos negócios vai diminuir para aqueles que não têm empreendimentos diretamente ligados ao evento – a maioria da população, eu incluso. Ou seja, aos empreendedores excluídos dos negócios “padrão FIFA” nos resta ficar “meio de férias” ou, pior, “meio sem trabalho”.

Menos raiva para aqueles que, da mesma forma que eu, não pretendem (ou pretendiam) vender produtos nos arredores dos estádios ou lucrar com as aglomerações em torno dos telões, coisas do gênero. Apesar de ser um calo alheio, me apoquenta o provável descontentamento dos ambulantes e dos comerciantes locais: os primeiros, “barrados no baile” e os últimos, temporariamente desapropriados de suas propriedades.

A FIFA (Federação de Ilicitudes e Falcatruas Atrozes) conseguiu, sob o beneplácito do governo brasileiro, instaurar um regime de exceção em tempos de democracia. Fabuloso!

Pelo lado positivo, acredito que a ingerência da FIFA revela quem somos, ao colocar o brasileiro no seu devido lugar (ou no lugar que merece): fora da própria terra.

Parafraseando Rita Lee: “Mas nada disso importa/Vou abrir a porta/Pra você entrar/Calar minha boca/Até me expulsar/É gol!!!

Saudações botafoguenses!

PS: Vou comentar a Copa (mas do jeito que der...).

PS 2: Cadê o meu ingresso pra final?! :-(

sábado, 17 de maio de 2014

Goiás 2 x 0 Botafogo - Esqueci...

Excesso de grama ou falta de grana?

Segue nossa lista de análises do jogo:

- “De volta à dura realidade”: Cantinho Botafoguense

- “Goiás 2 x 0 Botafogo: Pés no chão”: Fogo Eterno

- “Botafogo 0x2 Goiás”: Mundo Botafogo

[Link para os melhores momentos: Goiás 2 x 0 Botafogo]

Saudações botafoguenses!

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Botafogo 6 x 0 Criciúma - Seis?!



“Foi uma bela vitória, mas não cobre os nossos erros. Vamos continuar trabalhando. Dá um pouco mais de tranquilidade, o Botafogo pontua, mas não cobre os defeitos. Acho que precisamos ter um pouco mais de confiança, alegria para jogar e saber reconhecer que é um time que precisa melhorar bastante. Muitos defeitos, defeitos primários, mas cada um sabe o que tem de melhorar individualmente. Temos conversado isso durante a semana. Isso é bom para que quando chegue a hora dos jogos a parte coletiva possa aparecer.” (Emerson – entrevista à Rádio Globo).

“Era importante dar resposta que o torcedor quer ver. Não é a torcida que vai encher. É o time que vai jogar bem e encher o estádio.” (Vagner Mancini – entrevista coletiva).

Andam me poupando a escrita ultimamente.

Tem tudo pra ser a maior goleada da competição. Tem tudo pra fazer os jogadores ganharem confiança. Tem tudo pra fazer o torcedor voltar a acreditar no time. Mas tem tudo pra dar errado se acharem que parou por aí.

Como tudo indica que estão mais preocupados em manter o foco do que ficar olhando pro sol, parece que vai dar certo.

[Link para os melhores momentos: Botafogo 6 x 0 Criciúma]

Saudações botafoguenses!

sábado, 10 de maio de 2014

Com Assumpção, sem promoção

Hoje é dia de jogo, né?

Não vou.

Vou ficar “nas redes sociais cobrando promoção”. (Pra saber do que estou falando leia: Assumpção descarta promoção de ingressos e alfineta torcida).

O presidente Assumpção
Um homem avesso ao sucesso
Não gosta de promoção
Prefere cortejar o decesso

Saudações botafoguenses!

A deputada pirou

(A partir de arte de Miss Overdose)

Outro dia me contaram que foi criado o Dia do Torcedor do Botafogo. Achei que fosse piadinha marota e não dei importância quando uma imagem do Diário Oficial com a dita lei andou circulando pelo Facebook.

Mas, curioso, fui investigar e acabei descobrindo que era verdade: No dia 30 de abril de 2014 o governador Luiz Fernando Pezão sancionou uma lei que instaura o Dia do Torcedor do Botafogo (aqui), projeto de lei elaborado pela deputada estadual Enfermeira Rejane.

O projeto em si não me chama a atenção – aliás, o que eu e toda a torcida botafoguense queremos mesmo é uma diretoria competente que nos garanta times competitivos –, mas o fato de terem escolhido a data como uma forma de homenagear o Zagallo é um disparate!

Eu poderia montar uma charge feiosa, dizer que a deputada Rejane deveria cuidar de assuntos mais relevantes, mas, apesar de furioso, não vou enveredar por matéria que não interessa a este blog.

O que é relevante pra nós aqui – para mim e pro Biriba, e para muitos companheiros e companheiras botafoguenses – é que a única consequência ponderável da invenção dessa lei foi a criação de uma afronta permanente ao torcedor botafoguense, que ano após ano será lembrado de que sua data comemorativa carrega a reboque uma homenagem a um notório flamenguista.

Acredito que a intenção era boa, mas a deputada – que se declara botafoguense – poderia ter se aprofundado – minimamente! – no estudo sobre o clube de sua predileção, ao invés de produzir fogo amigo (sem trocadilho, até porque não caberia).

O governador – também botafoguense –, por sua vez, poderia ter evitado esse (“pedaço de trapizonga” é exagero?) incômodo, antecipando-se ao nascimento da obra: era só chamar a deputada pra uma conversa, puxar um “papo de futebol” e explicar o tamanho do despropósito em andamento. Mas (in)felizmente o governador tem assuntos mais importantes a tratar, do que cuidar de seus correligionários futebolísticos.

Nota: A história do Botafogo não sofre de escassez de datas: 1 de Julho – Club de Regatas Botafogo; 12 de agosto – Botafogo Football Club; 8 de dezembro – Botafogo de Futebol e Regatas; 28 de outubro ou 18 de outubro (que a Alegria do Povo venha em dobro!) – Garrincha; 16 de maio – Nilton Santos; 14 de abril – Flávio da Silva Ramos. E por aí vai...

Outra nota: Para evitar discórdias prescindíveis bastaria tentar descobrir a data de nascimento do ‘Almirante’ Luiz Caldas.

Mais outra nota: Ainda bem que fiquei pouco mais de um mês sem viver essa triste realidade.

Saudações botafoguenses!